HOMES E CONTATOS
 ATUALIZAÇÕES DO SITE
M E U S  A R T I G O S
A arte de envelhecer
A Mídia e o Idoso
A situação do idoso fragilizado no Brasil
Aposentadoria:Sonho ou..
Cabe também ao Idoso
Carta ao pres. Lula
Crédito para aposent. e pensionista
Cultura,Memória e Valorização
Dieta dos Relacionamentos
Envelhecer é um presente...
Envelhecer na Cidade de SP
Fac. para Terceira Idade
Gerontologo
Idoso + Conhecimento....
Nosso Jornal
O papel do Coordenador Grupo
O poder do nome
Por que existe a imagem...
Por que os avós estragam...
Qual o papel do Coord. FATI
Quem é velho?
Referendo:adiantará alguma ...
Reflexôes sobre Envelhecimento
Ser jovem é saber....
MINHAS ATIVIDADES
ASSEMBLÉIA LEGISLATIVA
 A U F A T I
CINEMA/TEATRO/VÍDEO
CONTRIB.,ARTIGOS,REPORT.
DIA INTERN. IDOSO
EDUCAÇÃO a DISTÂNCIA
EMPREGOS - OFERTAS
EMPREGOS PARA 3ª IDADE
ENVELHECIMENTO
EVENTOS,CURSOS,CONGRES.
F A M A
FARMÁCIAS ALTO CUSTO-Ends.
GOVERNO E COMUNIDADE
LEIS e PUBLICAÇÕES
L I V R O S
MÉDICOS E CLÍNICAS
M E N S A G E N S
MINIST. DA SAÚDE e SITES
OFTALMOLOGISTA
ODONTOGERIATRIA:O QUE É?
ODONTOGERIATRIA
P E S Q U I S A
PORTAL DO CONSUMIDOR
R E C E I T A S
REMÉDIOS GRATUITOS
SAÚDE E ATIVIDADE FÍSICA
SEU CURRICULO
S I T E S
SOC. BRAS. ASMÁTICO
UTILIDADE PÚBLICA
A R Q U I V O
LIVROS DE VISITAS/FORUM
   
 


Todos somos velhos,dependo do grupo em que você está inserido.Já pensou nisso?

Quem disse que velho é só após 60 anos? Isso é uma condição social

Quem é velho? Todos

De que velho estamos falando?

Eu poderia estar aqui falando a respeito do  perfil do idoso no século XXI, das  mudanças radicais pelas quais passou, da qualidade

 de vida ...  MAs acho que muitas pessoas já falam e escrevem a esse respeito.

Quero falar sobre algo não filosófico,mas real e prático, vivido por mim nesses 13 anos de experiência no meu trabalho.

O que significa ser velho hoje? Sentir-se visto como um indivíduo operativo, aceito, valorizado, integrado? Ou o inverso? Sentir-se e ser considerado de forma substancialmente diferente das crianças, jovens e adultos mais jovens? Ser avaliado ou avaliar-se positivamente ou negativamente? Enfim, haveria uma resposta única a essa questão?

Produtos sociais, como por exemplo: a literatura, a TV, as produções de humor e os cartões de aniversário devem ser considerados como reflexos e determinantes de atitudes em relação ao velho, à velhice e ao envelhecimento.

O velho, carrega atualmente, como parte inerente à sua condição, esteriótipos e classificações pouco reveladoras da sua real

 condição; a sociedade tende a encará-lo como uma estrutura rígida de personalidade, frente a qual nos paralisamos,

e codificá-lo como “RABUGENTO, CRIANÇA, ULTRAPASSADO, CHATO, CAQUÉTICO, etc.”.

É importante deixar claro, que ninguém é chato,rabugento,mal educado,só porque ficou velho.A pessoa sempre foi assim,mas a idade lhe permite mostrar quem realmente ela é. Ela não precisa mais "cumprir" o papel que a sociedade exige, ser simpática(falsa) com alguém, não depende do emprego. Então, esses sentientos afloram naturalmente com a maturidade.Não é a idade que deixa as pessoas desse jeito ou daquele, são os papéis sociais que a obrigam a serem assim ou não.Essa é a diferença e precisamos tomar cuidado para não rotularmos os idosos.Se pararmos para pensar,também temos bebês,crianças,adultos rabugentos,chatos,caquéticos,esquecidos, mas não os criticamos e muitas vezes nem  percebemos, muito menos rotulamos.E com o idoso,logo se contrapõem.

Você acha que um bebê, criança,adolescente,adulto são velhos e cada um tem suas limitações? já perceberam que

alguém sempre é velho do outro? Como?

Podemos analisar da seguinte maneira:uma criança de 2 anos é velha para um bebê de meses; um bebê de 6 meses é velho para outro bebê de 1 mes. Uma criança de 10 anos é velha para outra de 5 anos e assim sucessivamnete.Tudo dependete do grupo onde a pessoa está inserida. Com as limitações acontece a mesma coisa.Cada etapa da vida tem as suas limitações.Não se anda sem engatinhar.Não se fala sem balbuciar.Não se mesntrua sem passar pelo desenvolviemtno orgênico necessário, ou pelo processo de envelhecimento.Não se chega a menopausa sem passar pelo processo de envelhecimento.Então,envelhecer é um processo.Ninguém acorda velho.A gente envelhece desde que nasce, e para muitos cientistas,desde o ventre.Cada dia é um dia a mais vivido no processo da vida.

MAs as pessoas ainda não pararam para pensar dessa maneira.A falta de crédito em relaçao ao idoso faz parte de nossa cultura,onde tudo de bom é para o jovem e o de ruim é só para o velho.

 Quando algum idoso consegue sair do “padrão” estipulado pela sociedade, as pessoas levam o caso com uma mistura de repulsa e fascinação geralmente reservadas só para o extraordinário  e o bizarro.

Se o número de idosos tende a aumentar, e se os idosos podem e devem continuar seu desenvolvimento, como protagonistas

da história, devem  exercer maior pressão e maior reivindicação sobre a qualidade de sua auto-expressão e do seu

desenvolvimento. Mas para isso, participação do idoso nas mudanças de ação é condição no mínimo, muito importante.

Os idosos talvez não tenham idéia de que chegam a 15.000.000 (número de idosos no Brasil)e que  podem transformar o resultado das eleições, o rumo do País.Então,atenção:.sua participação é de fundamental importância, sua conscientização e seu

exercício de cidadania.Enquanto respirarem,continuam vivos, e portanto cidadãos, com direitos e deveres.A idade não lhes tira esse direito.

A cidadania começa dentro de casa e poucas pessoas se dão conta disso,independente da idade.É aí que decidimos, que tipo de

idoso ou velho queremos ser um dia.Se formos uma pessoa coitadinha, provavelmente seremos um idoso coitadinho.Se formaos uma pessoa normal, provavelmente seremos um idoso normal. Tudo depende de nosso comportamento durante a vida. O “coitadinho” ou o ”normal           “.

Costumo definir de “coitadinho”, aquele que se posiciona muitas vezes por preguiça, e deixa os outros tomarem conta do que é seu, e quando se dá conta, realmente tornou-se “coitadinho” e muitas vezes vai parar no quartinho de empregada,junto com a máquina de costura,pois tudo que não queremos ou que atrapalha,é lá que colocamos.E quando nos damos conta,muitas vezes é tarde. E “normal”, aquele que se posicional perante a família, onde ele toma as suas decisões. Ninguém manda nele.

Claro que estou falando de idosos sem patologias que os impossibilitem de tomarem decisões. São as pessoas chamadas normais.

Portanto, é importante deixar bem claro que não basta que cada vez mais se formem técnicos, especialistas, políticos e pessoas interessadas em trabalhar JUNTO com o idoso se O PRÓPRIO IDOSO não participar, não atuar, pois somente ELE, através de sua participação e seu envolvimento, poderá contribuir para que essa mudança ocorra.

Muitas vezes o próprio idoso critica como a sociedade o desvaloriza, o Governo não se importa com ele, mas o próprio idoso  nada faz para que a mudança aconteça.

Só conseguiremos mudar a imagem em relação a velhce e ao envelhecimento, quando pensarmos diferente de hoje.Quando acreditarmos que que envelhecimento é processo,que não se acorda velho, ou que seu RG lhe diz que hoje você estávelho porque faz 60 anos,que foi estabelecido pela sociedade,que se chama idoso.Quando percebemos que sempre seremos mais novo ou mais velho,indeopendente da idade,quando tivermos um NOVO OLHAR sobre envelhecer,ficar velho e envelhecimento.E o mais importante:NÃO NEGAR.

Portanto, “CABE TAMBÉM AO IDOSO A MUDANÇA DA IMAGEM SOBRE O VELHO”

“Não deixe que os outros se preocupem com você somente NESTE DIA. ATUE para que o idoso seja lembrado sempre, independente de ser apenas “UM DIA” dedicado a êle.

Envelhecer é um presente.Ficar velho é opção”

Cristina Fogaça

Autorizada utilização do texto desde que citado fonte e autor