HOMES E CONTATOS
 ATUALIZAÇÕES DO SITE
M E U S  A R T I G O S
MINHAS ATIVIDADES
ASSEMBLÉIA LEGISLATIVA
 A U F A T I
CINEMA/TEATRO/VÍDEO
CONTRIB.,ARTIGOS,REPORT.
DIA INTERN. IDOSO
EDUCAÇÃO a DISTÂNCIA
EMPREGOS - OFERTAS
EMPREGOS PARA 3ª IDADE
ENVELHECIMENTO
EVENTOS,CURSOS,CONGRES.
F A M A
FARMÁCIAS ALTO CUSTO-Ends.
GOVERNO E COMUNIDADE
LEIS e PUBLICAÇÕES
L I V R O S
MÉDICOS E CLÍNICAS
M E N S A G E N S
MINIST. DA SAÚDE e SITES
OFTALMOLOGISTA
ODONTOGERIATRIA:O QUE É?
ODONTOGERIATRIA
P E S Q U I S A
PORTAL DO CONSUMIDOR
Boletim Idec Plano Saúde
Carro:chip poderá cair preço...
Casa própria em 30 anos
Celulares:Planos mais econômicos
Cláusula Abuso Plano Saúde
Como avaliar se imóvel...
Como limpar seu nome...
Como reduzir valor conta...
Consumidor deve receber...
Consumidor tem direito...
Crédito Imobiliário:riscos
Débito indevido na conta
DETRANS serão obrigados...
Direito de se arrepender...
Embalagens de medicamentos
Esperança do consumidor
Financiamento...
Inadimplência:aprenda...
Inadimplente:você conhece..
INSS novas mudanças
IPVA
MARCA PRÓRPIA - Produtos
Novo Plano de Saúde
Operadoras não podem...
Pagar a prazo e compra impulso
Pagar pela Internet
Para que você não seja...
Planos de Saúde
Procon alerta...
Quase metade das cçs...
Querem revogar Cód. Def.Consumidor
Recall é direito do consumidor
Segurança:conheça os...
Serviço mal prestado
Tarifas bancárias:6 principais...
TV Digital...
R E C E I T A S
REMÉDIOS GRATUITOS
SAÚDE E ATIVIDADE FÍSICA
SEU CURRICULO
S I T E S
SOC. BRAS. ASMÁTICO
UTILIDADE PÚBLICA
A R Q U I V O
LIVROS DE VISITAS/FORUM
   
 


Notícias


Crédito, abertura de conta e vendas: você conhece as restrições do inadimplente?
22/5/2007


SÃO PAULO - Honrar os compromissos financeiros significa muito mais do que preservar seu maior patrimônio: o nome. É poder comprar e vender bens de maneira livre, sem sofrer nenhuma restrição.

Por isso é que manter o orçamento em dia é algo sério. Imagine precisar de algum remédio para seu filho e não poder comprar porque, por descuido, deixou de pagar algumas prestações da geladeira e não tem o dinheiro à vista. Pois quem não paga as contas em dia pode sofrer muito mais do que esta restrição.

Inadimplência com cheques
De acordo com cartilha da Febraban (Federação Brasileira de bancos), quem teve cheque devolvido por falta de fundos pela segunda vez ou por conta encerrada obriga o banco a inclui-lo no Cadastro de Emitentes de Cheques sem Fundo (CCF) do Banco do Brasil .

E a inclusão neste cadastro implica em algumas privações para o consumidor. A primeira delas, ainda segundo a cartilha, é que a pessoa fica impedida de retirar talões de cheques, o que a obriga a movimentar sua conta apenas por meio de cartão magnético ou pessoalmente, no caixa da agência.

Outra restrição para esta pessoa é que ela terá dificuldades em abrir conta em outros bancos, pois eles, "normalmente, recusam-se a abrir conta para alguém nessas condições (inadimplente)".

Comércio prevê restrições
Quem não conseguiu pagar suas contas em dia, ainda fica impedido de realizar compras a prazo. "Se o inadimplente vai fazer crédito, a probabilidade de que tenha resposta negativa é grande, porque não conseguiu pagar suas contas", disse o economista da Associação Comercial de São Paulo (ACSP), Marcel Solimeo.

O comerciante não correrá o risco de dar crédito para alguém que não conseguiu pagar suas dívidas antigas. "Como a pessoa vai conseguir pagar mais dívida sendo que nem conseguiu quitar as anteriores?", explicou o economista.

Venda imóveis e carros
Ainda segundo Solimeo, em caso de venda de imóvel, a pessoa pode ter o processo dificultado, devido à situação de inadimplente. "Porque o imóvel pode estar sujeito a alguma ação judicial para pagamento das dívidas. O cartório pode pedir todas as certidões que já pede e muitos outros documentos para comprovar que o imóvel pode ser vendido", disse.

No caso da venda de carros , Solimeo disse que não há nenhum problema de a pessoa vender estando inadimplente, somente se existir algum tipo de alienação.

Como sair dessa situação?
Para quem passa por estas restrições, o economista sugere ou o pagamento da dívida, para quem tem condições financeiras, ou a renegociação. "Para quem renegocia, é como se tivesse uma dívida nova, com outros prazos, e deixa de ter o nome negativo", explicou Solimeo. Fonte: Infomoney Nossas notícias são retiradas na íntegra dos sites de nossos parceiros. Por esse motivo, não podemos alterar o conteúdo das mesmas até em casos de erros de digitação