HOMES E CONTATOS
 ATUALIZAÇÕES DO SITE
M E U S  A R T I G O S
MINHAS ATIVIDADES
ASSEMBLÉIA LEGISLATIVA
 A U F A T I
CINEMA/TEATRO/VÍDEO
CONTRIB.,ARTIGOS,REPORT.
DIA INTERN. IDOSO
EDUCAÇÃO a DISTÂNCIA
EMPREGOS - OFERTAS
EMPREGOS PARA 3ª IDADE
ENVELHECIMENTO
EVENTOS,CURSOS,CONGRES.
F A M A
FARMÁCIAS ALTO CUSTO-Ends.
GOVERNO E COMUNIDADE
LEIS e PUBLICAÇÕES
L I V R O S
MÉDICOS E CLÍNICAS
M E N S A G E N S
MINIST. DA SAÚDE e SITES
OFTALMOLOGISTA
ODONTOGERIATRIA:O QUE É?
ODONTOGERIATRIA
P E S Q U I S A
PORTAL DO CONSUMIDOR
Boletim Idec Plano Saúde
Carro:chip poderá cair preço...
Casa própria em 30 anos
Celulares:Planos mais econômicos
Cláusula Abuso Plano Saúde
Como avaliar se imóvel...
Como limpar seu nome...
Como reduzir valor conta...
Consumidor deve receber...
Consumidor tem direito...
Crédito Imobiliário:riscos
Débito indevido na conta
DETRANS serão obrigados...
Direito de se arrepender...
Embalagens de medicamentos
Esperança do consumidor
Financiamento...
Inadimplência:aprenda...
Inadimplente:você conhece..
INSS novas mudanças
IPVA
MARCA PRÓRPIA - Produtos
Novo Plano de Saúde
Operadoras não podem...
Pagar a prazo e compra impulso
Pagar pela Internet
Para que você não seja...
Planos de Saúde
Procon alerta...
Quase metade das cçs...
Querem revogar Cód. Def.Consumidor
Recall é direito do consumidor
Segurança:conheça os...
Serviço mal prestado
Tarifas bancárias:6 principais...
TV Digital...
R E C E I T A S
REMÉDIOS GRATUITOS
SAÚDE E ATIVIDADE FÍSICA
SEU CURRICULO
S I T E S
SOC. BRAS. ASMÁTICO
UTILIDADE PÚBLICA
A R Q U I V O
LIVROS DE VISITAS/FORUM
   
 


Notícias


Crédito imobiliário: parcelas fixas ou variáveis? Risco deve ser considerado
26/7/2007


SÃO PAULO - Desde o final do ano passado, com o lançamento do pacote habitacional pelo governo, foi criada a possibilidade de financiamento imobiliário com parcelas fixas - ou, em outras palavras, sem a incidência da taxa referencial (TR) sobre o saldo devedor.

No âmbito do Sistema Financeiro Habitacional (SFH), o juro máximo a ser praticado pelos bancos para o empréstimo é de 12% ao ano, mais a variação da TR. Sem essa atualização monetária, as instituições são liberadas a cobrar juros maiores, como forma de "compensar" a isenção da taxa.

Para quem vai comprar um imóvel, portanto, fica a questão: compensa pagar juros maiores ou optar pelo crédito em parcelas variáveis? José Vieira Dutra Sobrinho, especialista em matemática financeira, entende que essa é uma opinião pessoal do mutuário, mas que, antes de uma decisão, é necessário avaliar os diversos aspectos do assunto.

Com e sem TR
Supondo que um banco ofereça o financiamento pré-fixado com taxa de 12% ao ano e o pós-fixado em 10% ao ano, mais a TR. "Com a TR, a percentagem anual seria de 11,76%, uma economia menor que meio ponto percentual em um ano", explicou. De qualquer maneira, mesmo que a diferença seja um pouco maior, o risco deve ser levado em consideração.

"O prazo do financiamento é muito longo, de 20, 30 anos. Nesse tempo, pode haver uma crise externa ou interna, mesmo que de baixas proporções, o que pode fazer com que seja necessário aumentar a taxa de juros (Selic, atualmente em 11,5% ao ano), o que, consequentemente, vai fazer a TR subir", explicou Dutra.

Dessa forma, o mutuário que optou, no passado, pelo financiamento com parcela variável confiando em uma TR estável, verá suas parcelas serem corrigidas para valores maiores do que o esperado. Já aqueles que optaram pela fixa, não sentirão essa influência.

"No ano passado a TR fechou em 2,03%, este ano deve cair para 1,6% e, no ano que vem, pode chegar a 1%. Mas isso apenas porque a economia está estável. Existe um risco, mesmo que pequeno, que isso não ocorra no futuro", adicionou o especialista.

"Debandada"
O superintendente-técnico da Associação Brasileira das Entidades de Crédito Imobiliário e Poupança (Abecip), José Pereira Gonçalves, não acredita que haverá uma "debandada" das parcelas variáveis para as fixas. "Há muitos produtos disponíveis nos bancos e cada um se encaixa a um determinado perfil", afirmou.

Em sua avaliação, a criação das prestações sem a incidência da TR mostra uma confiança dos bancos, "As parcelas fixas são um grande avanço em termo de crédito imobiliário, porque empresta-se um dinheiro por um período longo, de 20, 30 anos, confiando que a economia estará estável o suficiente nesse tempo", finalizou. Fonte: InfomoneyNossas notícias são retiradas na íntegra dos sites de nossos parceiros. Por esse motivo, não podemos alterar o conteúdo das mesmas até em casos de erros de digitação.

http://www.portaldoconsumidor.gov.br/noticia.asp?busca=sim&id=8364